Exposição Cora Coralina!!!


Na quinta-feira passada, fui ao Centro Cultural Banco do Brasil, especificamente para conhecer a Exposição sobre a poetisa, Cora Coralina.
Fui a convite da Biblioteca Pública de Niterói que leva o nome da autora, e apesar da chuvinha incessante, e de até então eu não conhecer ninguém, foi um passeio bastante agradável.
E quem foi Cora Coralina?
Cora Coralina, pseudônimo de Ana Lins dos Guimarães Peixoto Bretas, (Cidade de Goiás, 20 de agosto de 1889 — Goiânia, 10 de abril de 1985) foi uma poetisa e contista brasileira. Cora Coralina, uma das principais escritoras brasileiras, publicou seu primeiro livro aos 76 anos de idade, mesmo que tenha começado a escrever os seus primeiros textos aos quatorze anos de idade.

Mulher simples, doceira de profissão, tendo vivido longe dos grandes centros urbanos, alheia a modismos literários, produziu uma obra poética rica em motivos do cotidiano do interior brasileiro, em particular dos becos e ruas históricas de Goiás.

FONTE:http://pt.wikipedia.org/wiki/Cora_Coralina

Uma exposição sobre uma poetisa, não há muito o que ver, e sim sentir, se identificar, se encontrar, se emocionar e se encantar.
Pra mim foi muito intenso esse encontro com a exposição, me identifiquei e me emocionei muito, pois a sua poesia é muito rica e simples.
Já há muitos anos que eu tenho um poema dela em minha página do Orkut, que diz assim:

Não sei... se a vida é curta ou longa demais pra nós,
Mas sei que nada do que vivemos tem sentido,
se não tocamos o coração das pessoas.
Muitas vezes basta ser:
Colo que acolhe,
Braço que envolve,
Palavra que conforta,
Silêncio que respeita,
Alegria que contagia,
Lágrima que corre,
Olhar que acaricia,
Desejo que sacia,
Amor que promove.
E isso não é coisa de outro mundo, é o que dá sentido à vida.
É o que faz com que ela não seja nem curta, nem longa demais,
Mas que seja intensa, verdadeira, pura... Enquanto durar"
(Cora Coralina)

Agora alguns registros desse passeio;

0 comentários:

Páginas

Exposição Cora Coralina!!!


Na quinta-feira passada, fui ao Centro Cultural Banco do Brasil, especificamente para conhecer a Exposição sobre a poetisa, Cora Coralina.
Fui a convite da Biblioteca Pública de Niterói que leva o nome da autora, e apesar da chuvinha incessante, e de até então eu não conhecer ninguém, foi um passeio bastante agradável.
E quem foi Cora Coralina?
Cora Coralina, pseudônimo de Ana Lins dos Guimarães Peixoto Bretas, (Cidade de Goiás, 20 de agosto de 1889 — Goiânia, 10 de abril de 1985) foi uma poetisa e contista brasileira. Cora Coralina, uma das principais escritoras brasileiras, publicou seu primeiro livro aos 76 anos de idade, mesmo que tenha começado a escrever os seus primeiros textos aos quatorze anos de idade.

Mulher simples, doceira de profissão, tendo vivido longe dos grandes centros urbanos, alheia a modismos literários, produziu uma obra poética rica em motivos do cotidiano do interior brasileiro, em particular dos becos e ruas históricas de Goiás.

FONTE:http://pt.wikipedia.org/wiki/Cora_Coralina

Uma exposição sobre uma poetisa, não há muito o que ver, e sim sentir, se identificar, se encontrar, se emocionar e se encantar.
Pra mim foi muito intenso esse encontro com a exposição, me identifiquei e me emocionei muito, pois a sua poesia é muito rica e simples.
Já há muitos anos que eu tenho um poema dela em minha página do Orkut, que diz assim:

Não sei... se a vida é curta ou longa demais pra nós,
Mas sei que nada do que vivemos tem sentido,
se não tocamos o coração das pessoas.
Muitas vezes basta ser:
Colo que acolhe,
Braço que envolve,
Palavra que conforta,
Silêncio que respeita,
Alegria que contagia,
Lágrima que corre,
Olhar que acaricia,
Desejo que sacia,
Amor que promove.
E isso não é coisa de outro mundo, é o que dá sentido à vida.
É o que faz com que ela não seja nem curta, nem longa demais,
Mas que seja intensa, verdadeira, pura... Enquanto durar"
(Cora Coralina)

Agora alguns registros desse passeio;

0 comentários:

Minha foto
Vania
“…Aos olhos do Pai, eu sou uma obra-prima que Ele planejou e com suas próprias mãos pintou…A cor da minha pele, os meus cabelos desenhou,cada detalhe um toque de amor…Nunca deixo alguém dizer que não sou querida, antes de eu nascer, Deus sonhou comigo…” Minha versão. (Ana Paula Valadão) Sou uma pessoa muito feliz, e muito amada pelo meu Deus, pelo meu marido, minha família e meus amigos.
Visualizar meu perfil completo