‎18 de Abril - Dia Nacional do Livro Infantil


Oi...Pessoas!!
Como boa bibliotecária que sou, não poderia deixar de citar que hj, dia 18 de abril se comemora o Dia Internacional do Livro Infantil que tem uma total influência na vida de uma criança, e que eu amo literatura infanto-juvenil.
O dia 18 de abril foi instituído como o dia nacional da literatura infantil, em homenagem à Monteiro Lobato.“Um país se faz com homens e com livros”. Essa frase criada por ele demonstra a valorização que o mesmo dava à leitura e sua forte influência no mundo literário.
Monteiro Lobato foi um dos maiores autores da literatura infanto-juvenil, brasileira. Nascido em Taubaté, interior de São Paulo, em 18 de abril de 1882, iniciou sua carreira escrevendo contos para jornais estudantis. Em 1904 venceu o concurso literário do Centro Acadêmico XI de Agosto, época em que cursava a faculdade de direito.
Como viveu um período de sua vida em fazendas, seus maiores sucessos fizeram referências à vida num sítio, assim criou o Jeca Tatu, um caipira muito preguiçoso.
Depois criou a história “A Menina do Nariz Arrebitado”, que fez grande sucesso. Dando sequência a esses sucessos, montou a maior obra da literatura infanto-juvenil: O Sítio do Picapau Amarelo, que foi transformado em obra televisiva nos anos oitenta, sendo regravado no final dos anos noventa.
Dentre seus principais personagens estão D. Benta, a avó; Emília, a boneca falante; Tia Nastácia, cozinheira e seus famosos bolinhos de chuva, Pedrinho e Narizinho, netos de D. Benta; Visconde de Sabugosa, o boneco feito de sabugo de milho, Tio Barnabé, o caseiro do sítio que contava vários “causos” às crianças; Rabicó, o porquinho cor de rosa; dentre vários outros que foram surgindo através das diferentes histórias. Quem não se lembra do Anjinho da asa quebrada que caiu do céu e viveu grandes aventuras no sítio?
Dentre suas obras, Monteiro Lobato resgatou a imagem do homem da roça, apresentando personagens do folclore brasileiro, como o Saci Pererê, negrinho de uma perna só; a Cuca, uma jacaré muito malvada; e outros. Também enriqueceu suas obras com obras literárias da mitologia grega, bem como personagens do cinema (Walt Disney) e das histórias em quadrinhos.
Na verdade, através de sua inteligência, mostrou para as crianças como é possível aprender através da brincadeira. Com o lançamento do livro “Emília no País da Gramática”, em 1934, mostrou assuntos como adjetivos, substantivos, sílabas, pronomes, verbos e vários outros. Além desse, criou ainda Aritmética da Emília, em 1935, com as mesmas intenções, porém com as brincadeiras se passando num pomar.
Monteiro Lobato morreu em 4 de julho de 1948, aos 66 anos de idade, no ano de 2002 foi criada uma Lei (10.402/02) que registrou o seu nascimento como data oficial da literatura infanto-juvenil.

Por Jussara de Barros
Graduada em Pedagogia
Equipe Brasil Escola
FONTE:http://www.brasilescola.com/datacomemorativas/dia-nacional-livro-infantil.htm

2 comentários:

Nanda Muniz disse...

Oi querida adorei a sua visitinha no meu bloguinho. Pois é, eu tô doooida pra passar bem rapidinho. Não vejo a hora de chegar o dia do meu casamento.

Sobre seu Post, realmente um bom livro infantil fica na nossa memória pra sempre. A literatura deve ser incentivada pelos pais desde que a criança é bem pequena, E assim eles irão crescer com o gosto pela leitura e com a possibilidade de viajar para diversos mundos diferentes através dos livros.

Beijokas
Fica com Deus

Margarete disse...

Oi Vania, que legal essa informação. Eu adoro ler e aqui em casa meus filhos desde pequenos criaram o hábito da leitura.
Obrigada pela visita pelo carinho.
Grande beijo.

Páginas

‎18 de Abril - Dia Nacional do Livro Infantil


Oi...Pessoas!!
Como boa bibliotecária que sou, não poderia deixar de citar que hj, dia 18 de abril se comemora o Dia Internacional do Livro Infantil que tem uma total influência na vida de uma criança, e que eu amo literatura infanto-juvenil.
O dia 18 de abril foi instituído como o dia nacional da literatura infantil, em homenagem à Monteiro Lobato.“Um país se faz com homens e com livros”. Essa frase criada por ele demonstra a valorização que o mesmo dava à leitura e sua forte influência no mundo literário.
Monteiro Lobato foi um dos maiores autores da literatura infanto-juvenil, brasileira. Nascido em Taubaté, interior de São Paulo, em 18 de abril de 1882, iniciou sua carreira escrevendo contos para jornais estudantis. Em 1904 venceu o concurso literário do Centro Acadêmico XI de Agosto, época em que cursava a faculdade de direito.
Como viveu um período de sua vida em fazendas, seus maiores sucessos fizeram referências à vida num sítio, assim criou o Jeca Tatu, um caipira muito preguiçoso.
Depois criou a história “A Menina do Nariz Arrebitado”, que fez grande sucesso. Dando sequência a esses sucessos, montou a maior obra da literatura infanto-juvenil: O Sítio do Picapau Amarelo, que foi transformado em obra televisiva nos anos oitenta, sendo regravado no final dos anos noventa.
Dentre seus principais personagens estão D. Benta, a avó; Emília, a boneca falante; Tia Nastácia, cozinheira e seus famosos bolinhos de chuva, Pedrinho e Narizinho, netos de D. Benta; Visconde de Sabugosa, o boneco feito de sabugo de milho, Tio Barnabé, o caseiro do sítio que contava vários “causos” às crianças; Rabicó, o porquinho cor de rosa; dentre vários outros que foram surgindo através das diferentes histórias. Quem não se lembra do Anjinho da asa quebrada que caiu do céu e viveu grandes aventuras no sítio?
Dentre suas obras, Monteiro Lobato resgatou a imagem do homem da roça, apresentando personagens do folclore brasileiro, como o Saci Pererê, negrinho de uma perna só; a Cuca, uma jacaré muito malvada; e outros. Também enriqueceu suas obras com obras literárias da mitologia grega, bem como personagens do cinema (Walt Disney) e das histórias em quadrinhos.
Na verdade, através de sua inteligência, mostrou para as crianças como é possível aprender através da brincadeira. Com o lançamento do livro “Emília no País da Gramática”, em 1934, mostrou assuntos como adjetivos, substantivos, sílabas, pronomes, verbos e vários outros. Além desse, criou ainda Aritmética da Emília, em 1935, com as mesmas intenções, porém com as brincadeiras se passando num pomar.
Monteiro Lobato morreu em 4 de julho de 1948, aos 66 anos de idade, no ano de 2002 foi criada uma Lei (10.402/02) que registrou o seu nascimento como data oficial da literatura infanto-juvenil.

Por Jussara de Barros
Graduada em Pedagogia
Equipe Brasil Escola
FONTE:http://www.brasilescola.com/datacomemorativas/dia-nacional-livro-infantil.htm

2 comentários:

Nanda Muniz disse...

Oi querida adorei a sua visitinha no meu bloguinho. Pois é, eu tô doooida pra passar bem rapidinho. Não vejo a hora de chegar o dia do meu casamento.

Sobre seu Post, realmente um bom livro infantil fica na nossa memória pra sempre. A literatura deve ser incentivada pelos pais desde que a criança é bem pequena, E assim eles irão crescer com o gosto pela leitura e com a possibilidade de viajar para diversos mundos diferentes através dos livros.

Beijokas
Fica com Deus

Margarete disse...

Oi Vania, que legal essa informação. Eu adoro ler e aqui em casa meus filhos desde pequenos criaram o hábito da leitura.
Obrigada pela visita pelo carinho.
Grande beijo.

Minha foto
Vania
“…Aos olhos do Pai, eu sou uma obra-prima que Ele planejou e com suas próprias mãos pintou…A cor da minha pele, os meus cabelos desenhou,cada detalhe um toque de amor…Nunca deixo alguém dizer que não sou querida, antes de eu nascer, Deus sonhou comigo…” Minha versão. (Ana Paula Valadão) Sou uma pessoa muito feliz, e muito amada pelo meu Deus, pelo meu marido, minha família e meus amigos.
Visualizar meu perfil completo